Blog

  • História da segurança industrial


    História da segurança industrial

    História da segurança industrial

    A necessidade da indústria ao longo da história em melhorar as condições de trabalho de seus colaboradores foi ocasionada por múltiplas demandas de proteção à integridade humana, cada uma delas em um momento histórico específico. Entre as etapas que originaram a segurança industrial estão:

    IDADE ANTIGA E MÉDIA:

    Os primeiros registros de técnicas de segurança do trabalho datam da civilização egípcia, pois os escravos usavam arreios, sandálias e andaimes para construir as pirâmides. Figuras notáveis ​​da história, como Hipócrates, Aristóteles e Galeno, levantaram a necessidade de tomar medidas de segurança e higiene nas áreas de trabalho para prevenir doenças e acidentes. Ao longo dos séculos, o trabalho forçado e escravo tornou-se mão de obra especializada, dando lugar a novos desafios para preservar a integridade humana nas indústrias.

    CHEGADA DA IDADE MODERNA

    Após as primeiras dissertações sobre saúde ocupacional na Idade Média, durante a França do Renascimento foram promulgadas as primeiras leis que protegiam o trabalho dos trabalhadores. Desta forma, em 1413 foram emitidas as primeiras “Ordenações da França» , um documento que refletia o direito das guildas a um dia de trabalho seguro. Em 1473, um panfleto escrito por Ulrich Ellenbaf foi publicado na Alemanha, no qual ele descreveu as doenças ocupacionais mais comuns da época. Em seguida, Agricola e Paracelsus deram continuidade aos estudos sobre doenças ocupacionais, além de agregar formas de preveni-las no ambiente de trabalho. A extensa atividade mineradora motiva outros autores, como Kircher e Walter Pope, para revelar as doenças mais comuns nas minas, geralmente causadas por envenenamento por mercúrio. Infelizmente, com o nascimento da revolução industrial, a saúde do trabalhador foi esquecida para focar no desenvolvimento tecnológico e produtivo estrito.

     

     

    A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

    O período conhecido como revolução industrial começou no século XVIII com a substituição do trabalho manual graças à invenção das manivelas, da lançadeira do volante e das bombas d’água. Mais tarde, James Walt inventa a máquina a vapor e assim inicia uma nova era na industrialização mundial. A mecanização do trabalho se reflete na produção em massa de artefatos e produtos; porém, os avanços deixaram de lado as necessidades dos trabalhadores, em condições subumanas. Longas jornadas de trabalho, exploração de mulheres e crianças nas fábricas e proliferação de epidemias e doenças foram os eventos que deram origem a uma nova legislação voltada aos direitos trabalhistas. Durante a Segunda Guerra Mundial, foram introduzidos conceitos como qualidade, essenciais para maximizar a produtividade como valor implícito nos processos. a segurança do emprego torna-se essencial nas indústrias.

    PRECURSORES MODERNOS DE SEGURANÇA OCUPACIONAL

    Com o motim de Chicago de 1886, cuja principal conquista foi a redução da jornada de trabalho para 8 horas, uma série de reivindicações começou a melhorar as condições de trabalho. No início do século XX, a Universidade de Harvard oferecia o primeiro grau em Segurança e Higiene Ocupacional, a Organização Internacional do Trabalho (OIT) e o Serviço de Prevenção de Acidentes na Europa também foram criados. Em 1960, essa atividade tornou-se toda uma ciência dedicada a minimizar os riscos no trabalho de acordo com os processos industriais contemporâneos. Atualmente, a segurança do emprego se renova a cada dia para oferecer alternativas eficientes em torno do cuidado dos recursos humanos dentro das empresas.

    Também lhe pode interessar: ABC da segurança industrial

    COMPARTIR